BRASIL, Sudeste, MOGI DAS CRUZES, Mulher, de 15 a 19 anos, Portuguese, English, Arte e cultura, Música, Cinema e Teatro

 

   




    A Hora da Estela - Fotolog
  Profile Orkut
  Além do que se vê - Blog Bruno
  Ground Control To Major Tom - Blog Tommi
  Let your MindFlow
  A Moment in Time - Blog Mai
  Amor & Hemácias - Santiago Nazarian
  Caio F.
  Movimento Cinema Livre
  Making Off
  Blog Revista Plano B
  J.A.C.K.'s Weblog
  ECOSS DE MIM
  Revista Paisà


 

 
 

  Todas as mensagens
  Citação


 

   

   



 
 
E S T A T E L A S



- A comunidade - continuou dizendo -  é uma coisa muito bela. Mas o que vemos florescer agora não é a verdadeira comunidade. Essa surgirá, nova, do conhecimento mútuo dos indivíduos e transformará por algum tempo o mundo. O que hoje existe não é comunidade: é simplesmente o rebanho. Os homens se unem porque têm medo uns dos outros e cada um se refugia entre seus iguais: rebanho de patrões, rebanho de operários, rebanho de intelectuais...E por que tê medo? Só se tem medo quando não se está de acordo consigo mesmo. Têm medo porque jamais se atreveram a perseguir seus próprios impulsos interiores. Uma comunidade formada por indivíduos atemorizados com o desconhecido que levam dentro de si.

Hermann Hesse - Demian - 16ª ed. - pág. 135



Escrito por Estela R. às 15h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 

Difícil definir um culpado. Se é a serenidade que me passa, se é o mistério no olhar profundo, se são as semelhanças que me fazem pensar num pensamento ligado ao outro, se é tudo aquilo que eu sempre admirei num ser humano...não se sabe. E vai ver, tá aí a graça de tudo.



Escrito por Estela R. às 16h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




E até quem me vê lendo jornal na fila do pão...

 

 

E só de te ver eu penso em trocar
a minha TV num jeito de te levar
a qualquer lugar que você queira
e ir onde o vento for, que pra nós dois
sair de casa já é se aventurar

Ah vai, me diz o que é o sossego
que eu te mostro alguém afim de te acompanhar
E se o tempo for te levar
eu sigo essa hora e pego carona pra te acompanhar



Escrito por Estela R. às 22h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Quanto tempo!
Dois meses sem postar nadica de nada neste blog hein... Foram dois meses de implosão.
Agora, só voltei porque ouvir Elysian Fields me deixa assim meio morrendo de vontade de dizer o que se passa aqui dentro mesmo que através de frases não minhas. Deixa, que o Caio me expressa...

Agora olho em volta e não tenho certeza se gostaria mesmo de estar aqui. Só sei que dentro de mim tem uma coisa pronta, esperando acontecer.

 



Escrito por Estela R. às 23h53
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




SEM MUITO TEMPO, SÓ PASSEI PRA DIZER QUE...

Meu, Rammstein é MUITO BOM! *_* Preciso baixar mais deles.



Escrito por Estela R. às 20h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Clarice Lispector

Sentavam-se no que é de graça: banco de praça pública. E ali acomodados, nada os distinguia do resto do nada. Para a grande glória de Deus.

Ele: - Pois é.
Ela: - Pois é o quê?
Ele: - Eu só disse pois é!
Ela: - Mas “pois é” o quê?
Ele: - Melhor mudar de conversa porque você não me entende.
Ela: - Entender o quê?
Ele: - Santa Virgem Macabéa, vamos mudar de assunto e já!
Ela: - Falar então de quê?
Ele: - Por exemplo, de você.
Ela: - Eu?!
Ele: - Por que esse espanto? Você não é gente? Gente fala de gente.
Ela: - Desculpe mas não acho que sou muito gente.
Ele: - Mas todo mundo é gente, meu Deus!
Ela: - É que não me habituei.
Ele: - Não se habituou com quê?
Ela: - Ah, não sei explicar.
Ele: - E então?
Ela: - Então o quê?
Ele: - Olhe, eu vou embora porque você é impossível!
Ela: - É que só sei ser impossível, não sei mais nada. Que é que faço para conseguir ser possível?
Ele: - Pare de falar porque você só diz besteira! Diga o que é do teu agrado.
Ela: - Acho que não sei dizer.

 



Escrito por Estela R. às 18h11
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Protège-moi (Placebo)


Placebo é lindo, mas deixa a gente triste.
Já me apaixonei por essa Protège-moi. *_*



Escrito por Estela R. às 14h44
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




32ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

32ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo terá retrospectiva com filmes raros de Ingmar Bergman

A 32ª edição da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, que acontece entre 17 e 30 de outubro, exibirá retrospectiva de filmes do cineasta sueco Ingmar Bergman, com obras raras do início de sua carreira. O autor também será homenageado com exposição fotográfica e relançamento de sua autobiografia.

Outro homenageado da Mostra é o cineasta japonês Kihachi Okamoto (1924 – 2005), que também ganhará retrospectiva. A Mostra ainda trará a São Paulo importantes figuras do cinema mundial como o cineasta argentino Pablo Trapero e a atriz, cineasta e cantora portuguesa Maria de Medeiros, e fará exibição especial de “Berlin Alexanderplatz”, uma das grandes obras de Rainer Werner Fassbinder.

Homenagem a Ingmar Bergman

No ano em que Ingmar Bergman completaria 90 anos, a Mostra homenageia o cineasta com uma retrospectiva que privilegia filmes raros do início de sua carreira. Entre os filmes que farão parte da seleção estão “Crise” (1946), “Prisão” (1949), “Rumo à Alegria” (1950) e “A Hora do Lobo” (1968). Os filmes serão exibidos em cópias novas em 35 mm produzidas com supervisão do Instituto Sueco, órgão que difunde a cultura sueca no mundo.

A Mostra também apresentará a exposição “Meus Encontros com Bergman”, uma seleção de fotografias em que o cineasta aparece nos bastidores das filmagens. As fotos, tiradas entre as décadas de 50 e 80, são do sueco Ove Wallin. A exposição já passou por Estocolmo e Tóquio.

A Mostra ainda promoverá o relançamento de “Lanterna Mágica”, a autobiografia do cineasta, reeditada pela Cosac Naify e com tradução direta do original sueco. A obra foi publicada originalmente no Brasil pela editora Guanabara em 1988 e está esgotada.

Retrospectiva Kihachi Okamoto

Outro homenageado da Mostra é o cineasta japonês Kihachi Okamoto (1924 – 2005). O autor ganhará uma retrospectiva composta por 14 de seus 39 títulos. Kihachi Okamoto, um dos pioneiros do novo cinema japonês, já foi comparado a Samuel Fuller, mas permaneceu pouco conhecido fora do Japão. O diretor, no entanto, influenciou cineastas ocidentais contemporâneos como Quentin Tarantino (“Kill Bill Vol. 1 e 2”) e Jim Jarmusch (“Ghost Dog: Matador Implacável”). Além de seus notáveis filmes de samurai (chambara movies) e de gângster, Okamoto realizou importantes filmes de guerra.

Okamoto nasceu em 1924 em Tottori, no Japão. Em 1943, começou a trabalhar como assistente de direção nos estúdios Toho, mas logo depois foi recrutado pelo serviço militar. Aos 19 anos, foi enviado para a fronte do Pacífico da Segunda Guerra Mundial. Após a guerra, voltou aos estúdios e foi assistente de direção de Senkichi Taniguchi, Masachiro Makino e Mikio Naruse, entre outros. Esta geração de cineastas iria, na década de 1960, repensar e transformar o cinema de gênero japonês.

Como muitos cineastas de sua geração --Masaki Kobayashi (nascido em 1919), Kenji Misumi (nascido em 1921), Seijun Suzuki (nascido em 1923), Yasuzo Masumura (nascido em 1924)--, Okamoto foi influenciado pela Segunda Guerra Mundial, e sua obra é permeada pelos temas da violência e dos conflitos.

Sua cinematografia, no entanto, percorre diversos estilos. Okamoto realizou sérios dramas históricos, filmes de ação e até comédias com toques musicais. Grande fã de John Ford, Okamoto inseriu elementos do western na maioria dos seus filmes.

Suas histórias cômicas, seu trabalho de câmera de tirar o fôlego e sua montagem de ritmo rápido ficaram conhecidas como “toque Kihachi”. Entre os títulos confirmados na Mostra estão seu filme de estréia, “All About Marriage” (1958), e importantes filmes de sua carreira como “Desperado Outpost” (1959), “The Sword of Doom” (1966) , “Kill” (1968), “Oh, My Bomb!” (1964).


“Berlin Alexanderplatz”, de Rainer Werner Fassbinder

A Mostra fará exibição especial de “Berlin Alexanderplatz”, série de 1980 realizada para a TV pelo cineasta alemão Rainer Werner Fassbinder. É a primeira vez que a obra, com mais de 15 horas de duração, será exibida em 35 mm no Brasil –a série foi exibida em 16 mm na 9ª Mostra de Cinema, em 1985. A exibição, que tem apoio do Instituto Goethe, será dividida em blocos de três episódios por noite a partir de 25 de outubro.

Workshop com Pablo Trapero

Pablo Trapero, autor de “Família Rodante” e um dos mais importantes cineastas argentinos, é um dos convidados da 32ª Mostra de Cinema. O diretor ministrará um workshop de direção na FAAP, assim como já fizeram em edições anteriores os cineastas israelense Amos Gitai e o iraniano Abbas Kiarostami.

Seu mais recente filme, “Leonera”, que estreou no Festival de Cannes deste ano, será exibido pelo Festival. A atriz Martina Gusmán, mulher de Trapero e protagonista do filme, também vem a São Paulo para as exibições do longa.

Show de encerramento com Maria de Medeiros

A atriz, cineasta e cantora portuguesa Maria de Medeiros fará, em 30 de outubro, o show de encerramento da Mostra. Medeiros, que foi nomeada em 17 de março deste ano “Artista da UNESCO pela Paz”, apresentará no teatro do SESC Pinheiros canções de seu primeiro disco, “A Little More Blue”, em que interpreta composições de Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil. O disco é uma carinhosa homenagem à música popular brasileira e aos seus autores de resistência nos anos da ditadura militar.

Em sua adolescência, Maria de Medeiros aprendeu a decifrar nas entrelinhas das canções a resistência de compositores brasileiros. No álbum, Medeiros ordena de maneira inédita o sentido das canções interpretadas, nascidas em ambiente de repressão, frustrações políticas e desejos de transformação.

Maria de Medeiros nasceu em Lisboa, Portugal, em 1965. Reconhecida atriz internacional, já foi a frágil e insegura mulher de Bruce Willis em “Pulp Fiction” (1994), de Quentin Tarantino; a emotiva e transgressora escritora Anaïs Nin em “Henry & June” (1990), de Phillip Kaufman; a doida e alienada amante de um empresário da construção civil em “Ovos de Ouro” (1993), de Bigas Luna; entre outros inúmeros papéis.

Como diretora, seu primeiro longa-metragem foi o drama “Capitães de Abril”, que recebeu o Prêmio do Júri Internacional da 24ª Mostra de Cinema em 2000. Em 2004, a Mostra exibiu seu segundo longa, o documentário “Bem Me Quer...Mal Me Quer”, sobre a relação de amor e ódio entre artistas e críticos. Medeiros dirigiu um dos segmento de “Bem-Vindo a São Paulo”, longa-metragem coletivo realizado em São Paulo por vários cineastas internacionais consagrados a convite de Leon Cakoff, diretor da Mostra. O filme foi exibido na 28ª Mostra e lançado em circuito comercialmente em circuito nacional em 2007.

 

http://www2.uol.com.br/mostra/31/p_jornal_586.shtml

 





Escrito por Estela R. às 13h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




www.letyourmindflow.com/game

Eu ainda não tive tempo de jogar, mas deve ser muito divertido! Eu já adoro Guitar Hero, do Mind então! hahaha Joguem e me digam se valeu a pena! heheheh



Escrito por Estela R. às 18h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




DELÍRIOS NUM SÁBADO À NOITE

Olá.

 

Passando mal porque dormi logo depois de almoçar um pratão de polenta que a mamãe fez (sempre que durmo depois do almoço é assim), lotada de trabalhos pra fazer (mas lotada mesmo!), esperando uma resposta da biblioteca da faculdade, ouvindo The Promise (é, When in Rome, 80’s...aham), pós-show-do-MindFlow, pós-making-of-deste-mesmo-show, pós-injeções, pós-show-do-Teatro-Mágico e pós-enxaqueca (pós porque dopada de remédios passa, mas só assim, humpf.).

 

Preciso de um programa que preste pra fazer a edição do making of. Preciso fazer a escaleta da cena final do “E sua mãe também”. Preciso que as idéias fluam (let your MindFlow... Ahn? Ahn?) para os trabalhos do Gatti saírem logo. Preciso dar um jeito de recuperar as filmagens de ontem em Guararema.

 

Preciso de tempo. Preciso de dinheiro. Preciso de um chá de boldo.

 

Preciso de você sem falsas promessas.

 

Boa noite.

 

 

 

Só besteira, mas é melhor postar do que deixar as palavras perdidas né.



Escrito por Estela R. às 17h57
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Pela Noite

"-Quer que eu feche a janela?
Sem esperar resposta, levantou-se sacudindo as pernas meio dormentes pelo vinho, pela umidade da chuva, pelo frio de julho, pelo tempo que ficara ali sentado, pelas histórias loucas do outro. Teve que desviar-se dele, cheiro de maconha e cigarro e suor limpo e lençóis mornos, para caminhar até a janela. No escuro viu lá embaixo as cintilações dos faróis dos carros, anúncios luminosos, Minister, Melitta, Coca-Cola, fume, beba, compre, morra, suspensos no ar, flutuantes, naves espaciais, janelas iluminadas nos outros edifícios, luzes às vezes vermelho-quente, íntimas como as das boates, vago erotismo nas silhuetas mal desenhadas nos interiores alheios, beijavam-se talvez, acariciavam seios coxas dedos mergulhados em pêlos umedecidos, atrás de cortinas gemiam baixinho entre plantas desidratadas, gemidos roucos de tenso prazer urbano, dezenas de metros abaixo as poças d'água no asfalto espelhavam o brilho artificial do neon. Pulsante, a noite de sábado refletida às avessas no meio da rua."

Caio F.

 



Escrito por Estela R. às 12h42
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




4ª FESTA DA COMUNIDADE LET YOUR MINDFLOW

 

 

E como eu nunca resisto, fiz um videozinho. :)



Escrito por Estela R. às 12h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Breakthrough - Gilmour & Wright

Linda, linda, linda...



Escrito por Estela R. às 15h04
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Amiguinhos, eu tenho um Twitter.

www.twitter.com/estelinharocha

Sigam-me!rs



Escrito por Estela R. às 18h43
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




É, eu gosto de fazer merchan pros amigos...

Provavelmente estarei lá na sexta, mas nem prometo nada pra ninguém ficar me apedrejando depois. :P

 



Escrito por Estela R. às 18h40
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]





[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]